× Home Autora Sobre Blogroll

365

9 de julho de 2021 — Escritos

Ontem eu ouvi tua voz comentando sobre o cachecol do homem na série que eu estava assistindo. Foi muito estranho porque foi muito claro: era claramente você falando, com o teu jeitinho único de comentar sobre esse tipo de coisa. Tem noites em que eu posso jurar que você ainda está aqui, que eu posso jurar que ouço tua voz ou uma tosse tua no outro quarto. E eu sei que parece loucura, mas será que é errado demais da minha parte acreditar que você está sim?

Hoje faz 365 dias que você se foi. 365 dias sem sentir teu abraço ou o teu cheiro, mas definitivamente não são 365 dias sem você. Porque em todos estes 365 dias você esteve presente: no meu pensamento, nas minhas ações, no meu coração. Nem sempre no melhor estado, é claro, mas não precisa ser — se você não foi 100% perfeita em vida, quem dirá na morte. E tudo bem, porque no fundo você foi humana, e é humana mesmo que eu amo você. E sinto sua falta.

Obrigada por ter me ensinado que esta vida não acaba aqui, obrigada por sempre se fazer presente, mesmo que não fisicamente. Obrigada por ainda querer o melhor pra mim, obrigada por me dar forças para continuar porque eu sei que você estaria morrendo de orgulho de mim, mesmo que eu faça tudo meio errado, tudo meio torto. Obrigada por confiar em mim para continuar levando esta vida, neste mundo que anda tão caótico que, às vezes, eu me pergunto se você não se foi na hora certa. Porque, embora ninguém realmente mereça passar por isso, se tem uma pessoa que realmente não merecia nem um pouquinho, essa pessoa é você.

Eu pensei em escrever para você incontáveis vezes neste último ano, mas nunca tive coragem. Tinha algo nesse negócio de escrever pra você que ia tornar tudo real, tão palpável. Por isso, acabei sempre deixando pra depois. Mas hoje não dá mais pra esperar, né? Faz 1 ano que você está no outro plano, e sinceramente eu sinto que é até uma data a se comemorar. 1 ano que você está junto da Maria e da vó, 1 ano que você está se recuperando do que foi essa última encarnação, 1 ano que você está olhando por nós e acompanhando nossa jornada de onde quer que você esteja. 1 ano que por aqui só fica a saudade, e 1 ano que eu tenho certeza que a nossa história não acabou.

Chamem-me de louca. Chamem de suicídio filosófico. Chamem de luto não resolvido. Não importa. Nada disso faz sentido algum, a não ser o amor que eu tenho por você.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *