Masha Alkhim

Música / 21 de março de 2021

Together: Tag das trilhas sonoras

Eu amo trilhas sonoras, tanto as originais quanto a curadoria de músicas de artistas não relacionados que os produtores fazem para dar aquele tchan em seus shows, filmes etc. Quando o Together veio com a proposta de criarmos nossas próprias tags, eu entrei em um mini-desespero porque não conseguia pensar em absolutamente nada que eu achasse que fizesse sentido perguntar.

Vi que outros participantes do projeto fizeram tags relacionadas a coisas que gostam, e eu não conseguia pensar em nada original que eu gostasse para fazer a minha listinha de perguntas. Até que, certo dia, assistindo Crazy Ex-Girlfriend, veio-me a luz: trilhas sonoras! Eu simplesmente as amo e acho que seria um exercício bem divertido responder perguntas só usando músicas de trilhas sonoras!

Então vamos lá. A ideia desta tag é responder as perguntas sobre como seria a trilha sonora da sua vida utilizando músicas que compõem a trilha sonora de obras que você gosta! Aqui vão as regrinhas:

  • Pode ser tanto trilha sonora original (músicas que foram compostas especificamente para a obra, frequentemente chamadas de OST) quanto músicas que são cantadas por artistas não relacionados à obra, mas que foram incluídas como trilha sonora (se um filme usa uma música da Taylor Swift, por exemplo, pode usar essa música, mas tem que ser a mesma do filme);
  • É preciso citar de qual obra a música foi tirada (qual série, filme, jogo etc.);
  • Você pode responder só o nome das músicas, ou pode providenciar links ou até mesmo incorporar vídeos do YouTube nas respostas. A maneira que você responde fica a seu critério!
  • A ideia das tags é marcar algumas pessoas para respondê-las, não é? Então, lembre-se de marcar alguém! Não precisa marcar muita gente, o importante não é a quantidade de pessoas marcadas, mas sim a interação!

E aqui as perguntinhas caso vocês queiram responder a tag:

1. Qual seria a música de abertura da sua vida?
2. Uma música para momentos de alegria
3. Uma música para momentos em família
4. Uma música para momentos de produtividade (estudo, trabalho, fazendo planos etc.)
5. Uma música para momentos românticos
6. Uma música para momentos dramáticos
7. Uma música para aquele momento no qual a personagem principal está completamente sozinha e tendo que lidar com as consequências de suas próprias ações
8. Uma música para momentos de reconciliação
9. Uma música para o clímax da história
10. Uma música para os créditos finais

1 Qual seria a música de abertura da sua vida?

一 (One) – Gary Chaw. Eu não sei explicar muito bem, mas essa música parece ter o equilíbrio certo entre tristeza e esperança na melodia e na voz, exatamente o tipo de música que imagino que seria o tema de abertura da minha vida, risos. Essa música é do drama Bloody Romance (2018).

2 Uma música para momentos de alegria

Too Young to Burn – Sonny and The Sunsets. Essa música toca em Por Lugares Incríveis (2020), numa cena em que Violet e Finch estão na estrada, e são momentos alegres do filme. Quando vi esse filme, eu estava em um momento no qual eu tinha muita dificuldade em pensar que existia algum tipo de alegria na vida. Porém, essa música me fez lembrar que esses momentos existem sim, e por eles vale muito a pena seguir em frente, mesmo com todas as perdas e dores. Então é uma música bem importante pra mim e que sempre enche meu coração de esperança. ♡

3 Uma música para momentos em família

Lian Hua Wu (Lotus Pier) – Hai Lin. Ok, minha família não é nada chinesa, porém essa música de The Untamed (2019) sempre me faz pensar em sentimentos de familiaridade, de conforto, de comunhão, então certamente seria uma música que me traz bastante esse vibe de momentos em família.

4 Uma música para momentos de produtividade (estudo, trabalho, fazendo planos etc.)

No One’s Here to Sleep – Naughty Boy feat. Dan Smith Bastille. Essa música toca em alguma cena meio tensa de How to Get Away with Murder (2014), mas eu não lembro muito bem como é essa cena. Só sei que, apesar da letra nada a ver, essa música me dá uma sensação de produtividade, planejamento, ou coisas assim, risos. Então usaria tranquilamente para uma cena desse tipo na minha vida.

5 Uma música para momentos românticos

Bloody Romance tem uma das trilhas sonoras originais mais bonitas que já ouvi na minha vida, e eu sou completamente apaixonada por essa música. Não sei se ela passa uma vibe romântica pra vocês, mas pra mim passa muito essa sensação de acordar ao lado da pessoa amada todos os dias. É simplesmente blissful.

6 Uma música para momentos dramáticos

Until We Bleed – Kleerup feat. Lykke Li. Muito antes de Lykke Li ficar famosa por conta de I Follow Rivers, eu já conheci a cantora por causa de uma cena na série Misfits (2009), na qual toca essa Until We Bleed. A música não é da Lykke Li, mas lembro que me apaixonei pela voz dela e fui atrás de outras músicas da cantora para conhecê-la melhor.

A música já é bem triste por si só, mas lembro vagamente da cena na qual ela toca, em que Simon está sozinho no telhado do local onde eles fazem serviço comunitário. Foi uma cena que deixou meu coração bem apertado, e música certamente contribuiu muito para isso. Acho ótima para momentos dramáticos.

7 Uma música para aquele momento no qual a personagem principal está completamente sozinha e tendo que lidar com as consequências de suas próprias ações

Essa é a música tema de Xue Yang, um personagem bastante complexo, apesar de não parecer pela sua representação na adaptação para TV de The Untamed (2019). Sua história não é bem elaborada no drama, então pode parecer que ele é só um cara perverso extremamente irritante, mas na realidade ele tem uma profundidade bem maior que isso no livro. De qualquer forma, suas ações o levaram ao pior dos destinos — e eu não vou dizer que ele não merecia isso, pois merecia sim. Apesar de compreender Xue Yang, não diria que ele merecia ser perdoado. Enfim.

Escolhi essa música porque, de certa forma, me identifico com Xue Yang. Claro, eu nunca fiz uma chacina em um clã de cultivadores apenas para irritar algumas pessoas, porém eu sei o que é mentir e enganar as pessoas apenas para receber migalhas de afeto, eu sei o que é ser incapaz de responder de forma não agressiva em determinadas situações, eu sei o que é sabotar as minhas relações interpessoais por ser incapaz de compreender o amor e suas formas de manifestação. Eu sei o que é tudo isso, e não julgaria qualquer pessoa do meu passado que me dissesse “eu não te perdoo”.

8 Uma música para momentos de reconciliação

De Crazy Ex-Girlfriend (2015). Não é bem uma música sobre reconciliação com os outros mas sim consigo mesma, e acho que no meu caso esse é o tipo de reconciliação que eu mais preciso na minha vida, risos. Sem falar que encontrar o diagnóstico adequado é uma coisa maravilhosa mesmo, você finalmente entender o que está acontecendo com você é uma sensação única e você sente que tem pelo menos um pouquinho mais de controle sobre a sua vida (mesmo que isso não seja necessariamente verdade). Claro que é preciso tomar cuidado para não cair na armadilha de se apegar ao diagnóstico e permitir que o diagnóstico dite sua vida. Porém, sobre isso, talvez eu escreva mais tarde…

9 Uma música para o clímax da história

Música bem boba de um drama mais bobo ainda (Gank Your Heart, 2019), porém bem gostosinha. Eu estava viciada nessa música no dia que apresentei meu TCC, e sim, eu considero esse dia um dos dias mais felizes da minha vida — especialmente depois de receber um 10 e uma proposta de publicação de um artigo baseado nesse trabalho. Então, claramente um clímax né? Risos.

(P.S. o artigo nunca foi publicado porque minhas colegas não tiveram interesse em ir atrás disso, e eu sozinha não ia fazer tudo, então acabou não rolando, mas fiquei feliz só de saber que nosso trabalho tinha qualidade o suficiente para ir parar em um periódico científico).

10 Uma música para os créditos finais

永夜 – 譚維維. Sem palavras para essa música perfeita. Do drama Ever Night (2018).

我看见了云海 如晦如梦幻
我唤来了星繁 似灭似绚烂
我翻过了绿洲 无边且无岸
我亲吻了河川 春去春又来

Uff, responder foi bem mais difícil do que eu pensava que seria! Como louca das trilhas sonoras, achei que seria facinho encontrar uma música para cada pergunta, mas na realidade foi uma espécie de desafio, uaheuahe.

Vou deixar o desafio para o Victor (que já vai ter que responder um monte de tag, vi ele marcado em várias, haha PERDOA por marcar em mais uma) e para a Shana, porque acho que os dois tem ótimos gostos e devem tirar de letra essa tag, risos.

Beijinhos. ♡

Esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva de março do Together, um projeto para unir a blogosfera! Para saber mais, clique aqui.
Selo de postagem coletiva do Together

 

Música / 5 de fevereiro de 2021

Playlist: Pops genéricos que amo

Meu gosto musical é extremamente eclético, quem me acompanha há tempos sabe bem. Eu vou desde metal extremo até uns sambinhas mais tranquilinhos em poucas horas, e apesar de ter alguns gêneros favoritos (como o pop punk e o metalcore), em geral eu ouço de tudo no dia-a-dia.

A maior parte das pessoas que eu conheço tem dificuldade de acompanhar o meu gosto musical, porque eu realmente ouço muita coisa, e às vezes isso me impede de ser DJ em festas ou em encontros com os amigos — afinal de contas, eu sou a esquisita que vai colocar música que ninguém conhece.

Porém, como este blog é meu e eu faço o que eu quiser nele (dentro da lei, obviamente), resolvi compartilhar uma das minhas playlists favoritas com vocês: Pops genéricos que amo. Coloquei este nome pois, bem, as músicas são pop. E todo pop é meio genérico, né? Mas o importante é que eu amo. Ok, sem mais delongas~

all my friends are fake – Tate McRae

Quem nunca se sentiu como se suas amizades não fossem verdadeiras? Bem, eu já. Felizmente, esta não é mais a minha realidade, mas por um bom tempo da minha vida eu senti que não tinha ninguém com quem contar. Na música, Tate traz o sentimento de conhecer uma nova pessoa e ter a esperança de que ela pode finalmente ser uma pessoa com quem ela irá criar uma intimidade maior. Boa de ouvir quando você está se sentindo só.

Older – Sasha Sloan

Sasha Sloan é uma cantora que está começando a fazer algum sucesso (eu acho), mas que conheço há algum tempinho. As músicas dela geralmente tem uma letra meio triste, com temas como coração partido, inseguranças, depressão, crescer (como no caso de Older), entre outros. Apesar dos temas tristes, as músicas são muito gostosinhas e sempre trazem uma mensagem positiva no fim.

I Miss You, I’m Sorry – Gracie Abrams

Quem nunca ficou de mal com sue parceire e ouviu música triste sobre saudades pra chorar junto? Essa é a minha trilha sonora oficial de brigas com o boy, risos. Sempre ouço quando a gente acaba tendo um desentendimento, e a música fala sobre gostar muito da pessoa e querer ficar apesar das eventuais complicações. Sempre me inspira a pedir desculpas e fazer as pazes, acho ótima.

Almost In Love – Olivia O’Brien

Essa música fala sobre aquela paquera meio ruim, aquele carinha que chega na nossa vida, tenta nos conquistar, mas ao mesmo tempo não se esforça muito, e fica claro pra gente que nós não somos a opção número 1. Quem nunca, não é mesmo?

Champion – Elina

Outra música de coração partido, imagino que também possa ter sido inspirada em algum relacionamento tóxico que a cantora sofreu, porque fala sobre a relação como se fosse uma competição, que infelizmente ela perdeu. “Você se sente bem sabendo que ganhou agora? Você fica feliz quando eu estou mal? Sim, eu espero que você saiba que é um campeão e quebre meu coração de uma vez por todas”.

it’s not u it’s me – Bea Miller, 6LACK

Outra música sobre término, mas desta vez a moça sai como vitoriosa. Ela percebe que é um baita mulherão que merece muito mais do que recebe nesse relacionamento, resolvendo terminar com o clássico “não é você, sou eu”, e complementando com um “eu sou a única que eu preciso”. Maravilhosa!

A Little Messed Up – june

Ah, a autossabotagem! Quem tem esse tipo de comportamento nos seus relacionamentos pode se identificar com essa música, que fala sobre fazer tudo errado no relacionamento, e reconhecer que é responsável por grande parte dos problemas que surgem. Esse é o tipo de música que eu sinto que eu poderia ter escrito, risos.

Body – Julia Michaels

Essa música fala sobre não se amar e não conseguir ver o seu próprio valor, especialmente em relação ao seu próprio corpo. “Eu só quero amar o meu corpo do jeito que você ama o meu corpo. Eu quero olhá-lo no espelho e dizer-lhe que é lindo, como você faz”. Não é muito uma música com a qual me identifico diretamente, pois sinceramente não tenho problemas em relação ao meu corpo, mas eu tenho sim problemas de autoestima em outros aspectos e não consigo reconhecer meu valor direito, então eu entendo o sentimento de querer se amar e não conseguir.

::

Uff, chegamos ao final. A playlist original é, na realidade, bem mais comprida e com muito mais músicas, mas várias são das mesmas artistas e eu achei melhor não ficar repetindo artistas aqui. O que acharam? São bacanas as músicas? Fique a vontade para deixar sua opinião e recomendações nos comentários!