Ratologia

Por que ratos?



Há alguns meses, eu decidi que iria adotar ratos. Depois que minha mãe doou os gatos que eu tinha em 2018, meu pai disse que não deixaria mais nenhum bicho entrar nessa casa; até que meu namorado me ajudou a convencê-lo que ratos são fáceis de cuidar e que eu mereço uma chance para provar minha responsabilidade para com bichinhos. Eu até queria gatos de volta, já que minha mãe não estaria aqui para ser contra eles, porém meu pai não queria bicho solto andando pela casa — que poderiam estragar os artesanatos que ele faz —, e por isso optei por um animal que pode ser criado em gaiolas.

“Gaiola é crueldade!”, você pode dizer. E eu respondo: não é, não. Viver numa gaiola não é ruim porque tem pouco espaço; viver numa gaiola é ruim porque falta estímulo. A questão não é tanto a quantidade de espaço que o animal tem, mas sim quantos estímulos ele recebe. Grande parte de nós vive o dia inteiro enfurnado em um escritório ou dentro de casa e isso não é problema, porque graças à tecnologia temos estímulos o suficiente para não ficarmos entediados só porque não podemos sair lá fora (oi, pandemia). Claro, uma gaiola minúscula é crueldade, mas uma gaiola com as proporções adequadas e cheia de estímulos com os quais os bichos podem se divertir está longe de ser crueldade. Além disso, ratos podem (e devem!) ser soltos algumas horas por dia; eles dão uma breve explorada pela casa, cheiram aqui, cheiram lá, roubam pão de queijo (já vi acontecer) e depois voltam para a gaiola, onde tem caminhas, água e comidinha para os bichanos. Vai me dizer que isso é uma vida ruim? Melhor do que viver no esgoto porque o ser humano não consegue controlar pragas urbanas, né?

Enfim, caso você ainda não esteja convencido que gaiola não é crueldade, saiba que eu não ligo a mínima para a tua opinião e vou adotar meus ratos mesmo assim — e eles serão tão felizes quanto for possível para um rato ser. Desde que tomei essa decisão, dedico horas da minha semana para estudar os ratos, estudar como eles devem ser cuidados, seus hábitos, dietas, sinais de alerta, comportamentos, entre outros, então eu acredito que estou fazendo uma escolha bem informada e serei capaz de ser uma boa tutora de lindos ratinhos.

Enfim, vamos à pergunta inicial: por que ratos? E, bem, parte da resposta já está no primeiro parágrafo: foi o animal que consegui convencer meu pai de me deixar adotar. Mas, além disso, tem outros motivos que eu escolhi os ratos e não algum outro animal que pode ser criado em gaiola, como um hamster ou um ferret. Pois então, por que ratos?

Ratos são criaturas altamente sociais

Uma das coisas mais gostosas em ter um bicho de estimação é conviver realmente com ele. É poder brincar com o bicho, dar carinho, ensinar truques, é realmente participar da vida dele. O hamster, por exemplo, é um animal que não é muito social — tanto que nem mesmo é indicado ter mais de um hamster na mesma gaiola. Além disso, muitos acabam nunca se acostumando com a interação humana, o que seria bem chato para mim, que quero poder realmente interagir com os animais. Já os ratos são tão sociáveis que eles simplesmente não podem viver sozinhos. Adotar apenas um rato é um tanto quanto irresponsável, pois o rato é um animal que vive em colônias e pode ficar extremamente deprimido se ele não tiver pelo menos um parceiro para dividir a gaiola.

Claro que a interação humana não vem naturalmente para os ratos; é preciso conquistar sua confiança antes. Contudo, é muito mais fácil socializar um rato do que um hamster, por exemplo.

Ratos são inteligentíssimos

Lembra que eu falei sobre ensinar truques aos animais no tópico anterior? Pois bem, os ratos são animais que aprendem muito rápido — não é a toa que grande parte dos experimentos são feitos com estes animais. Eles aprendem truques como buscar a bolinha, aprendem a resolver labirintos e é possível até mesmo ensinar os ratinhos a “jogar basquete” (claro que nada parecido com o basquete humano, mas é divertido mesmo assim). Já vi também rato que aprendeu a roubar dinheiro de carteira. Vai me dizer que não é uma ótima ideia? Risos

Ratos são limpinhos

Ao contrário da crença popular, ratos são animais incrivelmente limpos. Embora eles façam bastante xixi e cocô na gaiola, é possível ensiná-los a usar o banheirinho (que se assemelha a uma caixinha de areia de gato, porém em menor escala). Além disso, eles gostam bastante de se esfregar e estão constantemente se limpando. Ou seja, o esgoto certamente não é um local adequado para os ratos morarem, e eles só fazem isso porque realmente não têm outra opção. De dia, precisam se esconder dos seres humanos, e de noite saem para caçar comida. Sendo assim, o melhor esconderijo que puderam achar na cidade foi o esgoto, e isso nada tem a ver com uma preferência por sujeira ou algo assim.

Ratos são boludos

Ok, esse tópico é brincadeira, mas é verdade. Não escolhi adotar ratos por causa do tamanho do testículo desses animais (que é incrivelmente grande para um bichinho tão pequeno), mas sempre acho esse um fato muito curioso e adoro comentar com as pessoas sobre isso. Pretendo adotar ratas fêmeas, tanto por conta do tamanho quanto por outros motivos (cheiro mais ameno, mais energia, entre outros), mas “bola de rato” continua sendo um dos meus assuntos favoritos para quebrar o gelo quando conheço uma pessoa nova.

::

Não sei se ficou claro, mas ratos são ótimos pets e cuidar deles não é difícil. Você só tem que estar disposto a dar muito amor, soltá-los e brincar com eles ao menos 1 horinha por dia, e ter atenção às suas necessidades básicas como alimentação e banheiro. São bichinhos lindos e muito divertidos de se conviver. Por isso ratos. ♡

5 respostas em “Por que ratos?”

Érica santos disse:

Nunca pensei em adotar ratos, mas a ideia é interessante, embora aqui em casa isso não seja possível, a minha cadela mata qualquer bicho menor que ela,menos gato, pq ela gosta de brincar com eles, mas se caso eu trouxesse um rato aqui o coitado não iria sobreviver pq ela não gosta de bichos pequenos, ela mata até mosca, então não. Enfim… adorei você não se importar com a opinião das pessoas em você querer adotar um rato, eu acho eles fofo, mas tenho medo,ridículo, mas tenho, então, boa sorte nessa nova etapa, e muito amor pra você e seu ratinho. Beijos flor🌸

Lena disse:

ratos? Só se for para ter pavor (risos a parte).
Acho interessante sim, quem cria. Mas eu não teria coragem. Aqui em casa, meus gatos matam todos.

Moh disse:

Oi, Masha! Quanto tempo que não dou uma passada, minha vida tá um pouco turbulenta esses dias, então, acho que é a primeira vez que comento no seu novo cantinho (que está muito lindo, a propósito) ♥
Obrigada pelos comentários! ♥

Awn, acho ratinhos muito fofos! Não sei, a carinha deles é muito simpática e eles parecem muito amigáveis! Morria de medo quando criança, mas só perdi o medo de fato quando assisti ao filme Ratatouille e quando um conhecido meu adotou dois. Achava divertido ver ele jogando a bolinha pra eles hauehauehauheua

Gostei muito da sua escolha em adotar um bicho diferente e não habitual. Também acho que eles merecem amor <3

Beijos, Masha ;*

Shana disse:

ROEDORES SÃO TODOS LINDOS TÁ APROVADÍSSIMO QUERO FOTOS TUDO <3 <3

Eu sempre tive hamsters, mas também tive outros roedores como porquinhos da India, gerbil, e todos são inteligentes, carinhosos e divertidos. Nunca cheguei a ter ratos porque quando essa moda começou a pegar, eu já não tinha como cuidar de bichinhos e deixei de lado a ideia por um tempo depois da morte do meu porquinho (foi triste, é isso)

Obviamente são bichos inteligentíssimos, que nos ensinaram muito do que a gente sabe sobre comportamento, HUAHUSAHUHU! Mas eu adoro os roedores todos pela sua fofura – e porque eles se enfiam em buracos. Meus hamsters se enfiam nos meus bolsos, mangas de blusa, onde tu imaginar. Só foi aterrorizante quando um deles resolveu comer e armazenar nas bochechas o cordão de uma blusa minha e eu fiquei apavorada com "AI MEU DEUS COMO VAMOS TIRAR ELE DAQUI" – meu pai só puxou o coitadinho e ele nem ligou, sofri de surtada mesmo D:

Ai, enfim <3 VAI COM TUDO, espero que seus companheirinhos (companheirinhAs?) sejam a melhor companhia, porque eles são mesmo e ai, fiquei empolgada só de ler, mds. HUSAHUSHUAHSUAU!
Obs: hamsters também são boludos. Achei conceito.

Respondendo seu comment menine: relaxe, também ando cansadíssima e eu leio os blogs tudo e acabo não comentando – leio pelo celular e comentar pelo celular é um caos, então né, já viu.
AMO A MÚSICA DA PLAQUINHA QUE BOM QUE VOCÊ TB CHORA, CHOREMOS JUNTAS
Eu comecei a preencher meu planner meio que diariamente primeiro pra usar o bichinho, fiz ele com afinco, e segundo porque dá muito essa sensação de "fiz coisas produtivas hoje". Mas eu uso ele pra me achar na semana, e anoto meus gastos e afins – tenho um outro planner financeiro, mas ele só atualizo no final do mês. Anoto as tarefas do mês que não posso esquecer, compras que estou pra receber. Não fiquei mais perdida na vida, recomendo.

Sobre meu dia, acredite: achei que tinha sido um grande nada até que comecei a fazer o post e me dei conta de que: uau, fiz várias coisas, HUASHUAHUAH! Acabou sendo produtivo escrever sobre e perceber o quão ativa eu fui no dia. Enfim, né.

Beijos Masha <3

Marina disse:

Oi Masha! Eu tava só bisbilhotando mas resolvi comentar hehehe

Me identifiquei muito com seu post. Crio calopsitas (tenho dois) e as pessoas tem a mesma reação. Tanto na parte das gaiolas quanto na parte deles serem sociáveis. Penso que as pessoas associam gaiolas a crueldade porque comparam com nossas prisões humanas. Mas é bem diferente. As calopsitas, assim como os ratos, só ficam estressadas em gaiolas por falta de estímulos. E eu imagino que aconteça com os ratos também, pq as calopsitas gostam das próprias gaiolas, são possessivas e ciumentas com elas (tanto que eu tenho duas gaiolas, pq são duas calopsitas machos e eles costumam ter umas briguinhas por poleiro, comedouro, coisas assim), além de se sentirem seguras dentro delas. Minhas calopsitas fogem pras gaiolas quando estão com medo. E ficam menos medrosas quando estão presas. Eu deixo eles na gaiola pra varrer ou quarto ou bater um prego, que são coisas que assustam eles demais. Falta informação, sabe? Com as calopsitas tem toda essa questão de “ai ave nasceu pra ganhar o céu” que as pessoas falam, e com rato imagino que você vai passar um bocado ouvindo essa história deles serem sujos. A irmã do meu sobrinho cria dois, e já ouvi muita bobagem em relação aos ratos dela. Mas acho eles muito fofos. Não sei se eu criaria mas acho fofinhos demais, adoro ver videos deles andando em labirinto no youtube <3

Quando tiver seus ratinhos posta foto e faz um post sobre eles pra gente ver, vou adorar conhecer essas fofuras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem escreve

Masha, 26. Uma das coisas que mais amo nessa vida é escrever, motivo pelo qual não consigo simplesmente viver sem um blog.

Curitiba - PR

Instagram

Me paga um café?

Buy Me a Coffee at ko-fi.com

Participo