Masha Alkhim

Diarices / 4 de março de 2021

I don’t know about you, but I’m feeling… 26?!

Dia 3 foi meu aniversário e, apesar de geralmente não ser uma data muito boa (todo ano acontece algo ruim nessa data, impressionante), até que este ano foi bem bacana — apesar da pandemia e tudo mais. Comemorei com meu pai, meu irmão e meu namorado apenas, mas mesmo assim foi um dia super agradável e eu me senti muito amada.

Não sou muito de ligar pra presentes, mas este aniversário eu ganhei tantos presentes tão significativos que não poderia deixar passar em branco. Pra começo de conversa, recebi uma cesta de café da manhã da minha tia — irmã da minha mãe. Desde que minha mãe deixou este mundo, minhas tias por parte de mãe tem se preocupado bastante com a gente, e mesmo morando longe (Rio de Janeiro), sempre dão um jeitinho de nos fazer nos sentirmos lembrados e amados.

Acabei deixando a cesta para o café da tarde, pois de manhã não costumo ter fome, e na realidade eu nem tinha dormido na noite anterior (just bipolar em mania things). Por conta disso, acabei dormindo durante a tarde e, quando acordei, meu namorado veio pra cá para passarmos o final da tarde/a noite juntos.

Nesse mesmo momento, meu pai e meu irmão foram ao dentista, então eu pus a mesa e resolvi esperar eles para começar a comer. E eu estava morrendo de fome. Depois de longos minutos de espera com a barriga roncando, eles chegaram e eu pude finalmente encher o buchinho de coisa gostosa.

Ganhei presentes maravilhosos do meu amorzinho — ele sempre me dá ótimos presentes, então já sabia que ele saberia me presentear bem, risos. Ele me deu o CD amo do Bring Me The Horizon (um dos meus álbuns favorios) e um brinquedinho para meus ratos — que eu ainda não adotei, mas que certamente serão muito felizes com o brinquedinho quando chegarem aqui.

Também ganhei presentes amorzinho da Chii, que me deu Good Omens (o livro de Neil Gaiman e Terry Pratchett, cuja série eu adorei) e um baralho de tarot de gatinhos! O baralho é a coisa mais fofa do mundo, eu tô muito apaixonada por ele ♡ Não costumo tirar tarot com tanta frequência, mas com esse novo baralho confesso que estou um pouquinho mais motivada, risos.

Por fim, depois do café da tarde com vários biscoitinhos que vieram na cesta de café-da-manhã, mais docinhos e salgadinhos que meu namorado trouxe, eu e meu namorado ficamos conversando, tomando umas cervejinhas, ouvindo música e só curtindo o final do dia. Foi ótimo.

A cada ano que passa eu tenho mais e mais medo do meu aniversário — não porque estou ficando velha (26 anos é bem jovem, afinal de contas), mas sinto que a cada aniversário, menos gente tenho ao meu lado. E é muito triste pensar que, a medida em que o tempo passa, a tendência é essa mesma. Pff, coisas da vida.

Agora só queria saber: 26 anos já é uma boa idade para fazer uma lista de 30 coisas a se fazer antes dos 30 anos, ou ainda é cedo demais?

Beijinhos, cuidem-se e fiquem bem. ♡